Empreendimento do Túnel do Marão

Empreendimento do Túnel do Marão

O Túnel do Marão insere-se na denominada Estrada Europeia 82 - E82 que se inicia no Porto (Matosinhos) na A4/IP4 e estende-se até Amarante sobrepondo-se ao atual IP4. Em Vila Real o IP4 foi transformado em autoestrada prolongando a A4 até Bragança e Espanha. 

O Empreendimento do Túnel do Marão é composto por três empreitadas: a construção do acesso poente, do acesso nascente e conceção/construção do Túnel.

Empreitada do Túnel do Marão

  • Extensão                               5,6 km de túnel e respetivas ligações, numa extensão total de 6 km 
  • Prazo de execução                518 dias
  • Valor base do contrato          110 Milhões de Euros
  • Valor do contrato                  88,1 Milhões de Euros
  • Adjudicatário                        Teixeira Duarte, S.A. e EPOS, S.A

 

Túnel do Marão

Ligação do Túnel do Marão a Parada de Cunhos

  • Extensão                               10 km 
  • Prazo de execução                450 dias
  • Valor base do contrato          48 Milhões de Euros
  • Valor do contrato                  28,8 Milhões de Euros
  • Adjudicatário                        Consórcio Ferrovial Agroman, S.A. e Lena Engenharia e Construções, S.A.

IP4(A4) - Nó de Parada de Cunhos (15)

Ligação da A4-Nó do IP4 ao Túnel do Marão

  • Extensão                              10 km 
  • Prazo de execução               450 dias
  • Valor base do contrato         43,5 Milhões de Euros
  • Valor do contrato                 29,5 Milhões de Euros 
  • Adjudicatário                        OPWAY Engenharia S.A.

IP4(A4) - Nó de Ligação ao Túnel do Marão

Beneficios do projeto

  • Atenuar as desigualdades inter-regionais O PIB per capita do Alto Trás dos Montes é cerca de 61% do PIB per capita do Grande Porto, o que corresponde a cerca de 50% da média europeia;
  • Sinistralidade: Redução de 26% da taxa de sinistralidade grave (Mortos + Feridos Graves / Circulação);
  • Mobilidade;
  • Ganhos de Tempo Médios nas deslocações entre Sedes de Concelho superiores a 10 minutos em cerca de 50% dos Concelhos na área de influência dos corredores nas novas AE’s;
  • Diminuição do Tempo Médio de Viagem em 19%, com destaque para as relações Bragança - Porto;
  • Aumento da Velocidade Média na ordem dos 28%;
  • Garantia de mobilidade em condições atmosféricas adversas (gelo e neve).